domingo, 27 de maio de 2012

Não me negues

Não me negues o gosto da tua boca, que a minha carece sempre dos teus beijos.
Não me negues a tua voz de acalanto, que meus sentidos todos te escutam.
Não me negues estar em minha vida, que ela se esvazia sem os teus carinhos.
Não me mate sem tuas palavras de amor; se matares for, que seja com a ira das tuas unhas rasgando a minha carne e o sufocar do meu pescoço aprisionado em tuas pernas.
E me mate de mil mortes, se preciso for, me sepultando em teu ventre sem piedade ou misericórdia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário